Páginas

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Piada Do Judeu No Bordel

Jacob era um judeu que morava numa pequena cidade do interior. Fazia 3 anos que sua esposa tinha morrido e ele não havia conhecido nenhuma outra mulher. Estimulado pelos amigos e clientes da lojinha, resolveu aliviar o stresse num bordel.

Ao chegar na casa, todas as meninas logo reconheceram Jacob, pois o judeu era conhecidíssimo por ter boas reservas financeiras. As meninas chegavam a brigar para ver quem chegava mais perto do pobre homem. Todas queriam agradá-lo.

Depois de algumas bebidas e carinhos, Jacob fala para a bela morena de cabelos longos:
-Você faz como minha falecida Sarah, faz?!?! Para eu matar saudade!

A morena quase que com lágrima nos olhos diz:
-Claro que eu faço, Jacobzinho!

E vão os dois pra cama, fazem tudo normal com nada diferente. Aí a mulher pergunta:
-Afinal, o que é que sua falecida esposa fazia? Pois para mim foi tudo igual!

E ele responde:
-Sarah fazia de graça!

Os Judeus são o que são. Até quando vão às put...

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Cresci Neste Clube

FIGUEIRENSES ENCERRAM PORTAS E ABANDONAM FUTEBOL
Atletas e familiares da Naval 1º de Maio foram, esta sexta-feira, surpreendidos com o anúncio por parte do clube da desistência da equipa de futebol sénior (SAD) que iria competir na Divisão de Honra da AF Coimbra, bem como da desistência dos campeonatos nacionais das equipas de Juniores A (1.ª Divisão), Juvenis e Iniciados.

As explicações e justificações para esta decisão foram dadas por Vera Azul, representante de Aprigio Santos – único dirigente do clube - alegando «falta de condições económicas» para a manutenção das equipas.
Uma das melhores equipas de futebol da Naval 1º de Maio - 1958/59
Recentemente foi alvitrada a possibilidade da existência de um investidor colombiano, que, entretanto, desistiu logo que a Câmara Municipal retirou o Estádio ao clube por falta de cumprimento protocolar no que diz respeito à cedência das instalações.

Foi o fim trágico de um clube que entre 2005 e 2010 militou no principal escalão do futebol nacional. Notícia sacada do Jornal A Bola

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

No Comboio...

No comboio Lisboa-Porto, viajava uma bela mulher com um bebé ao colo... e umas mamas do tamanho do Mundo!

 No banco da frente vai sentado um sujeito que não tirava os olhos do decote da moça.

O bebé desata a chorar e a espernear, e para acalmá-lo, ela tira o  peito para fora para alimentá-lo. Mas o danado do bebé continua na gritaria.
-Vá lá bebé, chupa, senão dou a maminha àquele senhor!

E nada do bebé mamar... E a cena repete-se:
-Vá lá filhinho, chupa, senão dou a maminha àquele senhor!

E o puto não mamava, e o comboio aproximava-se do Porto, e as cenas repetiam-se...

Aí o fulano, já farto das cenas... grita-lhe:
-Ó minha senhora... veja lá se o puto se decide, porque eu já devia ter saído em Coimbra!!!

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Para a sossega

O Recruta Pára-quedista

O avião militar subiu até à altitude conveniente para o efeito. O capitão pára-quedista chamou então o recruta que ia saltar pela primeira vez de pára-quedas.

E o capitão explicou-lhe:
-É tudo muito simples. Vejo que já estás equipado com o pára-quedas nas costas. Então, quando a porta lateral do avião for aberta, tu aproximas-te dela, abres as pernas e os braços, contas até dez, pausadamente, e atiras-te para o espaço. Quando fores no ar, contas até cinco e puxas a argola direita que está no equipamento. Se, por acaso, essa argola não accionar a abertura do pára-quedas, tens uma argola de emergência, no lado esquerdo. Puxa-a! Depois, quando chegares ao solo, no círculo assinalado, estará uma bicicleta que montarás para chegares ao quartel.

O recruta aguardou, então, pelo momento próprio e, à ordem de saltar, voou para o espaço. Contou até cinco e depois puxou a argola da direita. Nada! O pára-quedas não abriu! Rapidamente, puxou a argola do lado esquerdo… e nada! O pára-quedas continuou fechado!

Já em queda livre, diz o pobre do recruta:
-Querem ver que, agora, também não está lá a bicicleta?!

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

sábado, 26 de agosto de 2017

Nova Naval? - NAVAL 1893

Uma nova era no desporto figueirense: Naval 1893 apresentou a direcção
Foi apresentada publicamente, a direcção da Naval 1893, assim como o projecto deste novo clube, que pretende retornar às raízes e tradições eclécticas que foram a génese da Naval 1.º de Maio.

Com Paulo Bispo, como presidente, a nova direcção composta, sobretudo, por ex-atletas do clube, encontra-se já a preparar a nova época, num projecto no qual muitos sócios estão de volta.
O pequeno auditório do CAE teve uma boa casa, com a presença de vários navalistas, entre os quais destaque para membros da "Squadra Verdi" que também marcou presença, neste evento.

A Naval 1893, promete ser um clube da cidade cuja aposta, passa por jovens do concelho, e estará virada para a formação, valorizando sempre com a opinião dos sócios e a presença destes em Assembleias. in FOZ AO MINUTO

Mais aqui: Meninos da Naval

domingo, 13 de agosto de 2017

Para a sossega

Acabei de receber esta:
O bicho do caruncho foi acusado de assédio sexual... 
Andava a comer a secretária!

sábado, 5 de agosto de 2017

Aí está a "guerra"!

É hoje às 20H45, em Aveiro, que se disputa a Final da Supertaça entre Benfica e V. Guimarães.
A partir de amanhã (domingo) e até dia 10 (quinta-feira), teremos os jogos respeitantes à 1ª jornada da Liga.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Naval à beira do colapso

Naval ainda espera um milagre em pleno “corredor da morte”
À beira de cumprir 125 anos de história, que só o incêndio de 1997 abalou, o emblema da Figueira da Foz, que conta apenas com 20 sócios pagantes, enfrenta o momento da verdade.

A Associação Naval 1.º Maio caiu nos distritais, por onde não se lembrava de andar desde 1965. Este pode até ser o facto desportivo mais relevante da actualidade, ainda que na prática seja o menos angustiante. A Naval vive no fio da navalha, dias de insuportável incerteza, uma sensação de dor que pode ainda ser superada pelo sentimento de profundo abandono a que está votada. A história possível de recuperar, por entre uma amálgama de equívocos, chega a assumir contornos de crueldade, especialmente quando falamos de um dos clubes mais antigos de Portugal. Um emblema resignado a percorrer os últimos metros do “corredor da morte” à espera de um indulto, de preferência a tempo de celebrar o 125.º aniversário.
O colapso está à vista de todos e não adianta virar a cara ou as costas ao problema. A cidade, as forças vivas, o tecido empresarial, os responsáveis políticos, os rivais, o simples cidadão figueirense têm primado — salvo honrosas excepções — pela indiferença. Só assim se explica o estado deplorável em que se encontra a casa da Naval. O odioso da questão recai, em peso, sobre alguém que pode ser perfeitamente identificado pelos navalistas: Aprígio Santos parece ser o responsável máximo pela vertigem megalómana que vitimou a Naval, apontarão os principais detractores do presidente da SAD, presidente do clube, dono e senhor do emblema figueirense.

Aprígio Santos enfrenta problemas pessoais e profissionais igualmente graves e o declínio financeiro do homem do chapéu ou a mera esterilidade da galinha dos ovos de ouro da Naval não permite, há muito, continuar a suportar qualquer tipo de estrutura, muito menos a que guindou o clube da Figueira da Foz ao mais alto patamar do futebol profissional português, onde acabou por se transformar num monstro insaciável e incontrolável. O tempo das mariscadas, do leitão e do champanhe, dos 1001 afectos navalistas, torna-se cada vez mais uma recordação distante, uma miragem. A opulência deu lugar à ruína.

Estádio votado ao abandono
O estádio municipal transporta-nos para um cenário de guerra. O relvado com quase 40 anos assumiu uma existência errante, selvagem, alvo fácil de chacota nas redes sociais, acossado por drones e câmaras indiscretas que captam imagens degradantes. A vegetação apoderou-se do recinto que, não há muito tempo, acolhia 9000 adeptos. As bancadas amovíveis apodreceram, o ferro e as cadeiras foram reconvertidos em trocos que nem para comprar bolas chegam. Os torniquetes aguardam estoicamente, já sem a companhia dos eucaliptos entretanto expulsos. As torres de iluminação repousam sobre poços de água. E, mesmo sem utilização, obrigam a Naval a pagar uma taxa de 2000 euros mensais. Qualquer incumprimento leva ao corte de energia, o que não seria inédito. Aconteceu, aliás, na véspera do último Natal, deixando os jogadores “residentes” da formação sem electricidade durante nada menos do que uma semana.
Os escalões de formação, que contra ventos e marés resistem e e continuam a contribuir com títulos de campeão para o acervo do clube, vivem do esforço financeiro e dedicação dos pais dos atletas. No museu, reduzido ao espólio deixado pelos incêndios da sede, em 1997, e um mais recente — na sala de imprensa convertida em depósito da história do clube —, vão entrando os troféus dos miúdos e do remo, modalidade histórica que opera milagres no clube náutico, um dos poucos motivos de orgulho da Naval.

Sem ser autónoma, a secção de remo procura alhear-se o mais possível dos problemas que estrangulam o clube. As dívidas consomem toda e qualquer receita ou simplesmente invalidam a atribuição de subsídios. Ainda assim, a Naval consegue produzir campeões. Com três dezenas de atletas, o remo quer afirmar-se pela positiva e está a cultivar uma imagem distinta. A Taça da Beira Litoral, com os clubes da região (em infantis, iniciados e juvenis) recupera a tradição das provas de remo na foz do Mondego, numa perspectiva de mobilizar a cidade e de aproximar o centro da Figueira da Foz e o rio. Mas as pequenas vitórias do remo e do futebol de formação não disfarçam uma crise que ameaça o futuro de todos.

Vinte sócios em dia
A Naval conta hoje 20 sócios pagantes... No mínimo, eloquente. Qualquer ajuda terá, por isso, que chegar ao destino convertida em géneros, sejam remos ou equipamentos. Longe vai o tempo em que descarregavam os camiões com os melhores barcos olímpicos vindos directamente da Alemanha. Apesar de tão penosa realidade, há quem não aceite bem a solidariedade de um clube como o Leixões, cuja oferta de equipamentos para treino feriu algumas sensibilidades.

Num estádio absolutamente surreal, resiste um pequeno espaço de oração, junto aos balneários, com a imagem da Nossa Senhora de Fátima aparentemente intocável. No fundo — que é onde o clube parece ter finalmente batido — é de um milagre que a Naval precisa. Se possível, antes da ordem de despejo que poderá ser dada a qualquer momento.
Despejo iminente
A autarquia não assume, por enquanto, uma posição de força. O estatuto de utilidade pública da Naval, função que vai cumprindo na formação, é o raio de esperança. Enquanto “senhorio”, a câmara aguarda uma resposta da SAD navalista, notificada para esclarecer o que pretendem os responsáveis fazer relativamente ao estádio.

“Antes de mais, é preciso respeitar e salvaguardar a história da Naval, que está a atingir os 125 anos de existência. O clube cumpre uma função importante enquanto instituição com estatuto de utilidade pública desportiva. Nesse sentido, temos tentado dialogar, mas há já algum tempo que não obtemos respostas”, afiança o vereador do Desporto, Projectos e Obras Municipais, Carlos Monteiro, assumindo ser impermeável a pressões.

O poder local vê-se manietado, enredado numa expectativa que se arrasta sem que possa vislumbrar-se uma solução que dignifique e honre o nome da Naval. Para agir e assumir a reparação do estádio, a autarquia teria que “despejar” o inquilino. Precisamente o que pretende evitar. A discriminação de que a câmara é acusada por não punir o incumprimento navalista — por oposição aos demais clubes — é matéria delicada, para gerir com pinças, uma vez que todos os proveitos da SAD são absorvidos pela dívida à Segurança Social e ao fisco, dívida que ninguém sabe ao certo onde começa e acaba.
Augusto Bernardino e A Miranda
Texto e fotos publicadas no Jornal Público de 7-6-2017

sábado, 13 de maio de 2017

Cá Pela Figueira


9º Convívio “Os Meninos da Naval”
Para todos os Meninos e Meninas que passaram pela gloriosa Associação Naval 1º de Maio, como dirigentes, treinadores, atletas, adeptos, simpatizantes e também para aqueles que simplesmente brincaram na velha SEDE e no velho SALÃO.

Sábado, dia 17 de Junho de 2017
Almoço/Convívio no Café Europa - Serra da Boa Viagem
(Na povoação, estrada principal em frente à Sociedade Recreativa)

12H15 - Concentração
Para aperitivos e dar à língua

13H00 - Almoço
Sopa à Lavrador
Cabrito Assado na Brasa c/ batata frita, arroz de miúdos e salada
Sobremesa: Salada de frutas, pudim e mousse
Café + Digestivo (whisky novo, licor beirão e bagaço)
Vinhos da Casa (branco e tinto), cerveja, sumos, coca-cola e águas
Preço por Menino(a): 20€

Marcações até dia 12 de Junho, por email, facebook ou contactar os meninos: Arnaldo, Gustavo, João ou Rogério.
Menino(a), esperamos por ti!

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Dirigentes e adeptos, aprendam com eles!

«RIVALIDADE É SÓ DENTRO DE CAMPO, FORA DELE NÃO» 
Ezequiel Schelotto inaugurou, esta quarta-feira, o seu restaurante de comida italiana e argentina, em Lisboa, onde juntou elementos de Benfica e Sporting. Aos jornalistas, o lateral explicou que a rivalidade só existe no relvado. (In site do Record)
Imagem sacada do site do Record

quarta-feira, 22 de março de 2017

O problema não são as mulheres e o vinho

“Não se pode gastar o dinheiro em copos e mulheres e logo depois pedir ajuda”. Dijsselbloem, Presidente do Eurogrupo.
In Expresso


Utilizou talvez a metáfora errada, mas chegou bem nas orelhas da classe política!

quinta-feira, 9 de março de 2017

Mais um:

Governo quer criar novo supervisor acima do Banco de Portugal
O ministro das Finanças anunciou hoje uma reforma da supervisão financeira com a criação de uma nova entidade que ficará com a responsabilidade da supervisão macroprudencial e ainda será autoridade de resolução bancária, retirando essa competência do Banco de Portugal. In Notícias ao Minuto

sábado, 25 de fevereiro de 2017

E Ninguém Vai Dentro!
Até Parece Que Nada Aconteceu!

Imagem sacada do Notícias ao Minuto
Os emigrantes lesados do Banco Espírito Santo (BES) voltaram hoje a protestar em Paris para denunciar "um crime" e "uma vergonha" e reclamar as poupanças que depositaram naquela instituição financeira. In Notícias ao Minuto

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Politiquices dos "Ex-"

Imagem sacada do Sapo
José Sócrates respondeu às acusações de que é alvo no livro de Cavaco Silva, acusando-o de conceber e executar uma “conjura baseada numa história falsa, por forma a deitar abaixo um Governo legítimo em funções.”  Mais aqui... Sapo24

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Cada cavadela, sua VIGARICE!

PJ investiga corrupção na Força Aérea e detém oficiais
A Polícia Judiciária está a realizar buscas nas bases aéreas e instalações da Força Aérea devido a suspeitas de corrupção nas messes que envolvem oficiais. Já haverá diversos detidos. In Jornal de Notícias

Oficiais da Força Aérea detidos por corrupção
Mais de 30 militares suspeitos em megaoperação da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ e da PJ Militar. In Correio da Manhã

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Bola - Insólito

Clubes ficam em casa com medo do Canelas
Numa decisão surpreendente, 12 equipas aceitam perder por falta de comparência e pagar 750 euros por jogo para evitar alegada violência do emblema de Gaia.
Toda a notícia aqui... Jornal de Notícias

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Ou vai ou racha!

É preciso cobrar mais de 17 mil milhões em impostos para cumprir meta
O Estado tem de arrecadar 17.434 milhões de euros em impostos nos últimos quatro meses do ano para alcançar o objectivo de receita fiscal previsto no orçamento, calcula a UTAO, referindo que esta evolução "não se afigura verosímil".
In Notícias ao Minuto

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Que grande Caldeirada!

Grupos parlamentares são a porta do cavalo dos cofres dos partidos
Estudo inédito sobre o financiamento político informal em Portugal mostra os alçapões que os partidos usam para movimentar dinheiro. Só as subvenções pagas aos grupos parlamentares são uma novela... li aqui (público On-line) esta grande Salgalhada

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Para a sossega...

Maridos da Nova Geração
Para as mulheres que ainda não estão integradas e para os homens se classificarem nas novas tecnologias:

Sabe o que é um marido DVD?
É aquele que se Deita, Vira e Dorme.

E um marido DVD-R?
É aquele que se Deita, Vira, Dorme e Ronca.

E um marido CD?
É aquele que Come e Dorme.

Moral da história:
Não há nada como os velhos VHS... Várias Horas de Sexo.
Só que não se fabricam mais...

Autor desconhecido. Corre na Net via e-mail.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

sem tirar nem pôr

In capa do Correio da Manhã
Completamente de acordo!
E aproveito para recordar os outros senhores “banqueiros” Oliveira e Costa e João Rendeiro – que também não ficam mal nesta comparação.

Pst: Atenção que não sou advogado da senhora da TVI nem estou preocupado com os seus problemas financeiros.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Bruxo!

"Há no PS e no PSD 'muito boa gente' que não quer investigação à CGD"
Luís Marques Mendes, o "piqueno" ex-presidente social-democrata.
In Notícias ao Minuto

terça-feira, 23 de agosto de 2016

E o Ricardo Salgado autoriza?

privilégios dos políticos

 É "vergonhoso" invocar-se a imunidade diplomática nas circunstâncias do caso de Ponte de Sor.  Mark Stephens, da firma Howard Kennedy, especialista em direito público internacional e direitos humanos, e conhecido como "um advogado de causas perdidas"

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Prendinhas para a bola... pobrezitos!

Governantes viajaram para França a convite da Galp
O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade confirmou ao PÚBLICO ter viajado a convite da Galp, um dos patrocinadores da selecção portuguesa.

Fernando Rocha não foi o único a ser convidado pela petrolífera. O secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, também confirma que viajou para o Euro 2016 a convite da Galp. Toda a notícia no Público
Como diria o outro:
“Não há almoços grátis!“

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Aprendam!

Durante uma pesquisa no Google, encontrei por acaso um artigo in “Expresso on-line”, acho que de 2006, que achei genial, por isso o publico aqui… cá vai:

Fenomenalmente português, o desenrascanço!
Conto, aliás, uma história que ouvi recentemente. Um cidadão português, que sempre desejou ter uma casa com vista para o Tejo, descobriu finalmente umas águas-furtadas algures numa das colinas de Lisboa que cumpria essa condição. No entanto, uma das assoalhadas não tinha janela.

Falou então com um arquitecto amigo para que ele fizesse o projecto e o entregasse à câmara de Lisboa, para obter a respectiva autorização para a obra. O amigo dissuadiu-o logo: que demoraria bastantes meses ou mesmo anos a obter uma resposta e que, no final, ela seria negativa. No entanto, acrescentou, ele resolveria o problema.

Assim, numa sexta-feira ao fim da tarde, uma equipa de pedreiros entrou na referida casa, abriu a janela, colocou os vidros e pintou a fachada. O arquitecto tirou então fotos do exterior, onde se via a nova janela e endereçou um pedido à CML, solicitando que fosse permitido ao proprietário fechar a dita cuja janela.

Passado alguns meses, a resposta chegou e era avassaladora: invocando um extenso número de artigos dos mais diversos códigos, os serviços da câmara davam um rotundo não à pretensão do proprietário de fechar a dita cuja janela.

E assim, o dono da casa não só ganhou uma janela nova, como ficou com toda a argumentação jurídica para rebater alguém que, algum dia, se atreva a vir dizer-lhe que tem de fechar a janela!
Nicolau Santos, in "Expresso online" [...]

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Esquerda ou Direita
a conversa é sempre a mesma

Governo aprovou fim do tecto salarial para gestores da CGD
Comunicado divulgado no final do Conselho de Ministros dá conta de uma alteração significativa no regime aplicável aos administradores da Caixa Geral de Depósitos.

Os membros da administração da Caixa Geral de Depósitos vão deixar de ter limites de valor no salário recebido. A informação está incluída no comunicado divulgado pelo Governo no final da reunião de hoje do Conselho de Ministros.
Tudo aqui... Notícias ao Minuto

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Os Milhões em Mordomias são Omitidos

Metade dos custos com electricidade "são políticos"
"Cerca de 50% do preço da electricidade são custos políticos. Portanto, é muito fácil baixar o preço da electricidade, se baixarem os impostos"
Eduardo Catroga, presidente do Conselho Geral de Supervisão da EDP

Toda a notícia aqui... Notícias ao Minuto