Páginas

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

vai lá vai...

4 comentários:

Cesar Salgueiro disse...

Eu fico estúpido, ver o bloco (não sei do quê), e o CDS, defenderem a mesma causa. Na madeira aonde não se pagam taxas moderadoras, não se pagam vacinas da gripe (não falo da A),e outras regalias que mais ninguém tem ,é dos locais mais "ricos "(?) deste pais , o mais devedor, e o que pede mais, para continuar a não se pagar ,o que no continente se paga, e assim o João vai gozando tudo e todos.

Não entendo o papel dos partidos de esquerda a não ser pura vingança política, mesmo ao estilo do terceiro mundo, se essa lei passar o governo devia demitir-se e dar hipótese á "maioria" da assembleia para criar condições e que governe, se conseguir, neste país parece que, em democracia não se consegue, ou maioria absoluta, ou ditadura, que não sendo a mesmas coisas são parecidas. Mas é disso que uns não gostam, mas outros precisam infelizmente...

Tripeiro Conbictu disse...

Só não cortam o dinheiro que vai para Lisboa. Para Lisboa tudo, e para os outros nada. Cada vez mais me convenço, que não temos gente capaz para gerir o país. Só com a importação de políticos de qualidade é que isto lá vai... .
Já toda a gente percebeu como é governado este país... . Portugal tem um défice orçamental a rondar os 10% e a dívida pública cifra-se em quase 90% do PIB!!! O custo da dívida pública está cada vez mais alto, devido aos receios dos investidores internacionais. Ou seja, os juros que pagamos (Estado Português)pelos empréstimos que contraímos, são cada vez mais altos.
Não me parece que seja a Madeira a única culpada desta situação! Mas, tomáramos nós (os do continente), que estes défices e dívidas, servissem para termos a qualidade de vida que o Sr. Cesar Salgueiro diz haver na Madeira.

Abraço

Cesar Salgueiro disse...

O português, é de certa forma um pouco bairrista, e pior, provincianos, e por sermos isso somos pequenos, quando a nossa capacidade de projecção ideológica, não atinge mais duque o nosso limitado horizonte.

Na história do pós 25 de Abril, Mário Soares 76 a 78, e 83 a 85 e Pinto Balsemão 81/83, foram os únicos a governar este país nascidos em Lisboa, e antes do 25 de Abril penso que nenhum, se algumas opções caem por Lisboa, alguma razão um pouco superior a um provincianismo estúpido existe.

O problema não é Lisboa, se não fosse a mão do estado nas autarquias, porque faz parte da despesa do estado, 80% das famílias não tinham meios de subsistência, por as câmaras em muitas terras, dão de comer a 80€ das famílias.

Se não fossem feitos certos investimentos em Lisboa seria um caos, Lisboa é a primeira imagem do país para o exterior, Lisboa é uma cidade do Mundo, na Europa o contrário, seria uma imagem pior que alguns países da América Latina . De facto é essa a nossa filosofia, e cada um deve viver segundo os seus valores, e o valor do homem, é nem mais nem menos, duque a forma como pensa.

Nos estamos mal porque pensamos pobre, ninguém investe em Portugal por nos estão a olhar desconfiados e quando devíamos, unir forças para mostrar confiança, são paramentares da América latina, a votarem no ridículo, porque assim o são, e jornalistas a dizerem que tem gravações não do primeiro-ministro, mas dos amigos dele a dizerem o que ele disse, que ele até podia ter dito mas se negar ninguém tem provas , isto é o ridículo, não merecemos mais.

Ás vezes também me apetece ser bairrista, mas sou de um bairro ainda mais pobre, o Alentejo, embora grande no tamanho, e noutras coisas (para mim), Bairrista sim, mas… não provinciano

Tripeiro Conbictu disse...

Depreendo das palavras do Sr. Cesar Salgueiro, que está de acordo com o facto do governo beneficiar uma única região (Lisboa e Vale do Tejo)em detrimento de todas as outras do país. Sendo eu, regionalista, provinciano, e até bairrista, não posso defender que num país pequenino como o nosso, haja diferenças e assimetrias regionais tão díspares. Não sei porque razão o Governo beneficia uma região, que tem um rendimento superior à da média nacional! Será que esta discriminação está relacionada com o facto de Lisboa ser a sede da corrupção nacional?!? Enquanto a CE atribui maiores fundos para as regiões menos desenvolvidas, o Governo Português faz exactamente o contrário. Ninguém poderá dizer que os nossos governantes não são inovadores! Podem ser corruptos, mentirosos, incultos, irresponsáveis, ineficazes, ineficientes, com pouco ou nenhum sentido de estado, mas, são certamente bastante criativos!
Relativamente a esse "problemão problemático" da Madeira, devo dizer, o seguinte: a Madeira custará (segundo o OE de 2010) aos cofres nacionais, 339 milhões de euros, enquanto que os Açores, 586 milhões de euros.
A diferença das verbas que o OE destina para as Regiões Autónomas é de cerca de 247 milhões de euros, a favor dos Açores.
Note-se, ainda, que a despesa do estado com as ilhas representa apenas 0,6% do total da despesa nacional ( Madeira - 0,22%; Açores 0,38%).
Neste caso, estou completamente de acordo, com a distribuição equitativa das verbas destinadas às regiões Autónomas.
À região com menor desenvolvimento, cabe uma fatia maior do orçamento, e vice-versa.
Fazer disto um problema político nacional, é que me parece completamente descabido e revelador de algum desnorte por parte do governo. Ou, então, será mais uma acção de marketing do nosso Primeiro-Corrupto, que tenta encontrar na Madeira, o bode expiatório perfeito, para o descalabro das contas públicas nacionais. É bom relembrar que a Madeira representa apenas 0,22% da despesa nacional!!! Ou seja, é uma gotinha no imenso oceano do défice!
Por outro lado, a título de comparação, refira-se que o Porto recebe menos 84%, e Bragança menos 99%, relativamente a 2009, enquanto que a média de redução no país foi de 30%.
No caso concreto do Distrito do Porto, é de realçar que o mesmo representa 17,2 % da população nacional, mas apenas beneficia de 2% do Piddac total.
Assim não dá...tudo vai para a capital da corrupção! A qualidade de vida aumenta em Lisboa, e no resto do país deteriora-se. Lisboa é cada vez menos Portugal... .


Abraço